Curta Road to Metal no Facebook!

quarta-feira, 4 de março de 2015

NOFX: Retornando a capital gaúcha depois de quatro anos!


A alegria dos fãs de Punk Rock e HC está garantida em 2015, mais especificamente aos fãs de NOFX, a banda californiana retorna a Porto Alegre depois de cinco anos, em 2010 fizeram um show memorável no Pepsi on Stage, para uma plateia insana.

 A banda desembarca em Março no Brasil para uma pequena turnê que passará por Porto Alegre (17/03– Bar Opinião), Rio de Janeiro (19/03 – Circo Voador), Curitiba (20/03 – Vanilla Music Hall) e São Paulo (21/03 – Via Marques).

Fiquem ligados no Road to Metal para saber mais informações e nós estaremos lá para relatar cada detalhe desse show que promete muito.

Serviço:
Local
Opinião (Rua José do Patrocínio, 834)

Quando
17de março, terça

Horário
19h abertura da casa
21h NOFX

Ingressos
1º lote R$90,00
2º lote R$100,00
3º lote R$120,00

HotPass
R$ 40,00 [100 unidades]

*O HotPass dá direito a entrar 30min antes da casa abrir para os demais clientes. Quem adquirir o passaporte deve estar na entrada do Opinião às 18h (sem necessidade de entrar na fila) para terem acesso liberado às 18h30min.

** A compra do HotPass não vale como ingresso para o show.

Pontos de venda:

Online
www.ticketbrasil.com.br (em até 12x no cartão)

Lojas

Sem taxa de conveniência

Youcom – Bourbon Wallig, 3º piso. Fone: (51) 2118-1186.
Com taxa de conveniência de R$3,00

Youcom – Bourbon Ipiranga, 1º piso. Fone: (51) 3204-5210.

Youcom – Shopping Praia de Belas, 3º piso. Fone: (51) 3206-5530.

Youcom – Barra Shopping, térreo. Fone: (51) 3206-5423.

Multisom – Andradas Rua dos Andradas, 1001 | loja 01/02. Fone: (51) 3931-5283.

Multisom – Shopping Canoas (AV. Guilherme Schell, 6750), loja 69/70 | Centro. Fone: (51) 3941-6211.

Multisom – São Leopoldo (Rua Primeiro de Março, 821), loja 204 | Centro. Fone: (51) 3952-1310.

Multisom – Novo Hamburgo (Av. Nações Unidas, 2001), loja 1002 e 1003 | Centro. Fone: (51) 3951-2212.

Censura
14 anos

*Será expressamente proibida a entrada de câmeras fotográficas profissionais e semi-profissionais, e filmadoras de qualquer tipo.

*A organização do evento não se responsabiliza por ingressos comprados fora do site e pontos de venda oficiais.

Informações

Abstratti Produtora
(51) 3026-3602


Texto: Marlon Mitnel
Revisão/edição: Renato Sanson




Slash de Volta a Porto Alegre/RS! (Realização: Free Pass Entretenimento)


É fã da formação clássica do Guns N’ Roses?  Gosta de apreciar grandes músicos no palco? Quer ver um guitarrista que é considerado uma lenda no mundo do Rock? Então você está com sorte, pois dia 20 de Março desembarca em Porto Alegre a lenda  Slash.

Ele se apresenta no Pepsi On Stage no dia 20 de março, a partir das 21h30min! Esse show faz parte da divulgação do novo álbum do ex-guitarrista do Guns N' Roses, o "World on Fire”.

Se já não bastasse termos Slash no palco teremos outros dois grandes músicos juntos, Myles Kennedy (Alter Bridge) que será o vocalista  e fazendo a abertura do show outro ex-membro do GnR ninguém menos que Gilby Clarke, então não perca essa noite que promete muito.

Serviço:
O que: show do Slash
Onde: Pepsi On Stage
Quando: sexta, 20/03, a partir das 21h30min

Ingressos:
1º lote Pista R$ 80
2º lote Pista R$ 90
3º lote Pista R$ 99
1º Lote Mezanino R$ 160
2º Lote Mezanino R$ 180
3º Lote Mezanino R$ 200
1º lote Pista Premium R$ 180
2º lote Pista Premium R$ 200
3º lote Pista Premium R$ 240

Maiores informações:


Texto: Marlon Mitnel
Revisão/edição: Renato Sanson


terça-feira, 3 de março de 2015

Temperance: Estrela Ascendente no Cenário Europeu



Formado por músicos já experientes na cena, o grupo Italiano Temperance já está com o segundo álbum com data marcada para lançamento, e apenas um ano após o debut, lançado ano passado também pela Scarlet Records. Louvável, numa era em que poucos lançam material novo em tão pouco espaço de tempo.  (read the english version HERE)

Os bons resultados do debut auto-intitulado se refletem neste novo álbum, "Limitless" (com data de lançamento marcada pra 31/03) que traz uma produção ainda melhor, em todos os aspectos, e podemos notar que houve um investimento maior por parte da gravadora, percebendo que tinha em mãos algo de potencial, e se há material de qualidade pronto, não há porque não lançar. Provável que muitos entendam que seja melhor trabalhar e divulgar mais um trabalho, antes de lançar um novo, mas também há o lado que, se a banda tem material de qualidade, está vendo que o retorno por parte de fãs e mídia está sendo plausível, terá também em mãos um material muito maior para apresentar ao vivo, e certamente agrando os fãs, pois quem não quer ouvir mais e mais material dos artistas que curte?


O Temperance, segundo o release, faz um Modern Melodic Metal, e tal rótulo ajuda a situar um pouco o que o ouvinte pode esperar, mas, apesar dos rótulos serem necessários nessa questão divulgação/situar o público, não dá pra se pender somente a isso. Como parâmetro, posso apostar que fãs de bandas como Amaranth e Nightwish atual vão curtir o som dos italianos.
A banda apresenta peso, melodia, elementos sinfônicos, folk e eletrônicos, em canções muito bem construídas, melodias bem feitas e criativas, realmente pode-se notar rapidamente que é um trabalho feito por músicos experientes e diferenciados, destacando a vocalista Chiara Tricarico, que apresenta desenvoltura e tem um timbre muito bonito.


A música do Temperance soa atual, com peso e melodia bem balanceados, apresentando riffs pesados e vocais masculinos mais agressivos, se contrapondo a melodias bem trabalhadas, melodias interessantes aos teclados e sintetizadores, e os belos vocais de Chiara, ou seja, a banda tem pegada e pitadas de Metal Extremo, mas também soa bem "comercial" e cativante. Vários elementos podem ser encontrados nessa base Modern Melodic Metal, e já na primeira faixa, "Oblivion", que abre com um coro de vozes infantis, o peso e a melodia se contrapõem, com pitadas de Melodic Death, sintetizadores e vocais limpos, berrados e operísticos, apresentando aí o que o release promete, ou seja, tudo trabalhando em nome da melodia e força; pitadas de folk e efeitos eletrônicos, como na ótima "Amber & Fire", com refrão e melodias pegajosos, lembrando bastante a "Want my Tears Back" do Nightwish, inclusive em vários momentos do álbum o timbre de Chiara se assemelha ao de Floor.

O potencial comercial é bem evidente, apostando em refrãos e melodias bem cativantes e até de fácil assimilação, e ótimo exemplo é a semi-balada, um dos destaques do álbum junto às duas anteriores, "Stay", com bastante ênfase no belo vocal de Chiara.
Esse lado comercial e acessível também é bem evidenciado em "Goodbye", com melodias e refrão de muito bom gosto. 


Um álbum muito bem feito, bem produzido por Simone Mularone (DGM), músicos capacitados e experientes, que sabem o que fazem, e conseguiram criar já uma identidade sonora. Potencial comercial, boas melodias e ideias em composições de qualidade. Conseguiram realizar o que propuseram, e ainda com doses de originalidade. Uma banda pra se prestar atenção e que merece ser conferida.

Ah, não podemos esquecer o belo trabalho da capa, concebida pelo brasileiro Gustavo Sazes, que já se tornou figura conhecida por vários grande trabalhos, criando capas para bandas como Arch Enemy, Kamelot, Morbid Angel, Angra e Sirenia.


Texto/Edição: Carlos Garcia
Fotos: Divulgação

Ficha Técnica:
Banda: Temperance
Álbum: "Limitless" (2015)
País: Itália
Estilo: Modern Melodic Metal
Gravadora: Scarlet Records

Line-up:
Chiara - Vocals
Marco - Lead Guitar & Vocals
 Sandro - Rhythm Guitar
 Luca - Bass
Giulio - Drums & Keys

Canais oficiais da banda:




Track List:
Oblivion
Amber & Fire
Save Me
Stay
Mr. White
Here & Now
Omega Point
Me, Myself & I
Side By Side
Goodbye
Burning
Get A Life
Limitless





Temperance: Rising Star on the European Metal Scene



Formed by experienced musicians in the scene (from bands like Secret Sphere, Hate Tyler), the italian band Temperance are preparing your second album, and just a year after the debut, released last year also by Scarlet Records. Commendable, in an era when few launch new material in such a short space of time.  (To read the portuguese version click HERE)

And if the band has quality and good material, why not release it? Mainly if you see that the return by fans and media is being plausible, and also the band will have on hand much more material to present live, and certainly pleasant the fans, because who does not want to hear more and more material from artists that you enjoy?

The good results of the self-titled debut is reflected in this new album, "Limitless" (with release date to 31/03) that brings an even better production, in all aspects, brings power and great melodies that we can find in the firts album, but in this new, they add more elements of Extreme Metal. We can note there is a good investment by the label, realizing that they have in hands a band of a great potential.



Temperance, according to the release, makes a Modern Melodic Metal, and that label helps to place a little what the listener can expect, but despite the labels are needed on this issue disclosure / situate the public, you can not hang if only it. As a parameter, I can bet that fans of bands like Nightwish Amaranth and current will enjoy the Temperance's music.
The band has weight, melody, symphonic elements, folk and electronic, in songs very well built, well done and creative melodies, really can be noticed quickly that it is a job done by experienced and distinguished musicians, highlighting the singer Chiara Tricarico, who has a very beautiful voice.

The Temperance's music sounds modern, with heavy riffs and aggressive (and some clean too) male vocals, as opposed to well-crafted melodies, great keyboards and synthesizers, and, sure, the beautiful vocals of Chiara. The band has traces of Extreme Metal, but also sounds "commercial" and captivating. Several elements can be found in this "Modern Melodic Metal" base.


The first track, the bombastic "Oblivion", which opens with a chorus of children's voices, heavy guitars and the melody walks side by side, with pinches of Melodic Death, synthesizers and clean, screaming and operatic voices, with all what are promised on the release, that is, all bounded together in the name of melody and power; with elements of folk and electronic effects, comes "Amber & amp; Fire" with chorus and sticky melodies, reminding a little the song "Want my Tears Back", of Nightwish, including at various times of the album the timbre of Chiara resembles Floor Jansen.

The commercial potential is evident, betting on choruses and catchy melodies and well up easily assimilated, and great example is the semi-ballad, one of the album's highlights from the previous two, "Stay", with emphasis on the beautiful Chiara's voice.
This commercial and accessible side is also well evidenced in "Goodbye", with beautiful melodies and tasteful chorus.


A great and mature album, carefully produced by Simone Mularone (DGM), skilled and experienced musicians, and have managed to create a sound with identity. power, commercial potential, good melodies and ideas in very good songs. They deliver what was promised in the release, and with originality doses. A band to pay attention and which deserves to be heard.

Oh, can not forget the cover artwork, designed by Brazilian Gustavo Sazes, who has become known figure for several major works, creating covers for bands like Arch Enemy, Kamelot, Morbid Angel, Angra and Sirenia.


Text: Carlos Garcia

Band: Temperance
Album: "Limitless" - Release date 31/03/2015
Country: Itália
Style: Modern Melodic Metal
Label: Scarlet Records

Line-up:
Chiara - Vocals
Marco - Lead Guitar & Vocals
 Sandro - Rhythm Guitar
 Luca - Bass
Giulio - Drums & Keys

Visit:

Facebook









Track List:
Oblivion
Amber & Fire
Save Me
Stay
Mr. White
Here & Now
Omega Point
Me, Myself & I
Side By Side
Goodbye
Burning
Get A Life
Limitless




domingo, 1 de março de 2015

Tijolo Seis Furo: Resgatando o Bom e Velho Punk!


“Reciclando o Terror”, bem no sentido da palavra esse é o batismo para o primeiro disco dos gaúchos do TxSxFx ou melhor dizendo: Tijolo Seis Furos.

Resgatando o bom e velho Punk, o TxSxFx não se preocupou com tendências ou se o som fosse soar datado, a intenção era fazer o que gostam, e de fato se saíram muito bem.

Formado por Alexsandro (guitarra), Homero (vocal), Bob (bateria) e Lucas (baixo) o quarteto apresenta uma sonoridade bem característica e empolgante, remetendo de cara grandes nomes do Punk dos anos 70/80, como Ramones, Pistols, Cólera e RDP (começo de carreira), composições curtas e na maioria das vezes velozes e claro, temas ácidos contra o sistema.


São 21 petardos que prezam pela simplicidade, mas que não deixam a desejar, riffs bem postados e praticamente cantados, assim como a cozinha que soa compassada e segura, passando pelos vocais gritados que dão a agressividade necessária.

Destaques ficam por conta das estonteantes “Com Medo”, “Fronteira da Escuridão”, “Guerra” e “Inveja”; e também as cadenciadas “Libera”, “Nada Nosso” e “Discurso de um Parasita”.


Também há de se ressaltar o cover de Ratos De Porão para “Crucificados Pelo Sistema” que encerra o disco, e a boa produção do trabalho que soa "suja" na medida e com instrumentos bem equalizados.

Resgatando a velha guarda do Punk Rock é isso que o Tijolo Seis Furo faz, mas com muita personalidade e atitude. Nos resta aguardar um novo trabalho, pois essa belezinha chamada “Reciclando Terror” foi lançada em 2003.


Porém não se preocupem a banda continua ativa e forte fazendo muitos shows pela região, espalhando sua mensagem de ódio e repulsa contra a sociedade.


Resenha por: Renato Sanson


Conheça mais a banda:

Facebook
Bandcamp

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Entrevista: Issa - Surge uma Nova Rainha do Melodic Rock/AOR



Quando fomos procurar Issa para falar a respeito do seu novo álbum, o recém lançado "Crossfire", a cantora norueguesa não escondia seu entusiasmo: "Acredito que é o meu melhor álbum até agora". E o entusiasmo se justifica, pois "Crossfire" traz todos os elementos que os fãs de Melodic/Rock e AOR mais adoram, grandes refrãos, ótimas melodias, muitos teclados, e com o "plus" de que Issa é uma cantora acima da média, e além disso, possui ao seu lado parceiros de composição também ótimos, tendo ainda extremo cuidado na produção, resultando em trabalhos que estão um passo à frente dos demais.  (ENGLISH VERSION READ HERE)

Com o quarto álbum nas mãos, muito talento, popularidade crescente entre os fãs, canções de qualidade incontestável, Issa já é um dos nomes mais saudados em se tratando de Melodic Rock, e não é exagero dizer que hoje é uma das mais importantes vozes femininas do estilo, legítima herdeira de grandes cantoras como Ann Wilson (Heart) e Robin Beck. Realmente, uma nova rainha do Melodic Rock surge.

Confira a seguir a entrevista com a sempre simpática Isabell Oversveen, ou simplesmente como é conhecida, Issa, onde falamos sobre o novo álbum, sua discografia, um pouco de história, curiosidades e mais! confira!
curiosidades.



RtM: Oi Issa, obrigado pela sua atenção, em primeiro lugar, eu gostaria que você nos contasse um pouco mais sobre o seu quarto álbum, "Crossfire", o que os fãs podem esperar, e quais são suas expectativas?
Issa: Heya, e obrigado pelo contato ... Como você pode entender, eu estou muito animada com o lançamento deste álbum. "Crossfire" levou dois anos para ficar pronto e algumas dessas músicas já foram escritas há uns 5 anos atrás. "Crossfire" tem muitos teclados, grandes coros e grandes canções, para resumir. Eu acho que este álbum vai mostrar uma sensação AOR mais pura, até um pouco como Roxette.


RtM: E comparando com os primeiros álbuns, o que você tentou fazer diferente neste novo?
Issa: Eu tenho esta "coisa" sobre não fazer cada álbum soar igual. Eu acho que as pessoas mudam com o tempo e assim é a música que sai de nós, eu sempre tento fazer o que eu sinto, como me encontrava nesse momento. "Crossfire" é diferente de "Sing of the Angels" da maneira que eu acho que as músicas são mais grandiosas, e também porque eu compus mais para este álbum, por essa razão acho que ele casa mais comigo. Eu acho que quando você escreve e grava as canções ao longo do tempo, você começa a perceber as que se destacam.




RtM: Em "Crossfire", você arriscaria apontar o que são suas músicas favoritas, e quais você aposta que ganharão imediatamente destaque entre os seus fãs?
Issa: Bem, como eu disse a Frontiers Records quando falamos sobre que música  fazer um vídeo, eu não tinha idéia, porque todas essas músicas são fantásticas. Gostaria de dizer que "Long Time Coming" é uma canção de rock mais dark e nervosa, "New Horizon" é uma música incrível e apenas soa fantástica com todos os seus sons de sintetizador, "Heartbeat" é uma canção pegajosa que simplesmente faz com que você fique viciado, ah!! E não vamos esquecer "Raintown", isso é apenas um sonho tornado realidade, e essa música deverá ter um enorme sucesso mundial .. ela é fantástica.


RtM: O álbum tem convidados especiais e uma em particular que eu estava muito ansioso para ouvir, é o seu dueto com Steve Overland (FM). Você pode nos contar um pouco mais sobre este dueto?
Issa: Eu sempre fui uma fã do FM, e especialmente da voz de Steve Overland, ele tem uma voz incrível e muito própria. Quando eu gravei o álbum eu queria fazer a música "Fight Fire With Rain" em um Dueto, e eu sabia que queria Steve Overland cantando, então trabalhei pra obter o contato com Steve Price da gravadora ARFM. Steve recebeu "Fight Fire With Rain" e adorou a música, então planejamos a gravação a partir dali. Então, alguns dias mais tarde, eu tinha o mix de "Raintown" de volta, e então percebi: “Esta é a canção”, não suficiente ter apenas eu cantando nela, e eu comecei imediatamente a trabalhar em mudanças, para que fosse transformada no dueto eu ouvi na minha cabeça. Então, depois de tudo isso, eu tinha que devolver para o Steve e mostrar-lhe "Raintown" - ele adorou a música, e logo depois gravamos a versão você ouve hoje. Steve não é apenas um cantor incrível, mas uma pessoa incrível para se trabalhar. Estou muito feliz com o resultado e muito orgulhosa dele também.




RtM: E esse time de músicos que acompanham você em "Crossfire"? Com alguns você vem trabalhando,  inclusive no anterior, "Can’t Stop", incluindo Alessandro Delvecchio, e claro, os gêmeos James e Tom Martin. E os resultados alcançados, mostram que há uma bela química. Conte-nos um pouco mais sobre como funciona a composição de um álbum seu, e também o que você pode nos dizer sobre esta equipe?
Issa: Sim, eu tenho muita sorte de ter tantas pessoas incríveis ao meu lado. Temos uma equipe fantástica neste CD, James Martin nos teclados, Tom Martin na base e Mikael Cruise na bateria, com convidados na guitarra e teclados em todas as músicas. Foi muito fácil para mim entrar em contato com todos os caras, porque eu já trabalhei com todos eles em algum momento. Eu queria que todos colocassem sua própria atmosfera nas músicas, acredito que elas trazem o melhor dessas pessoas, e eu não posso dizer mais do que isso, o resultado é incrível, eu sou muito grata pelo empenho de todos.


RtM: Em sua página você liberou algumas datas de shows para promover "Crossfire". Você tem planos para visitar mais países após o lançamento do álbum? Existem algumas boas propostas?
Issa: Estou adoro tocar ao vivo, e eu acho que haverá uma turnê pelo Reino Unido mais perto do verão. Eu não sei os detalhes dela ainda, mas eu vou postar isso no facebook/issasite assim que eu souber mais. É sempre mais difícil sendo um artista solo, então tem a banda, a questão financeira, eu tenho que pagar todos os envolvidos com os meus shows. Tudo torna isso um pouco mais difícil, essa questão de fazer muitos shows, mas lógico que eu adoraria. Se rolar algum festival, eu vou estar lá, definitivamente: O)))




RtM: De quais países você recebe mais contatos? Em que lugares seus álbuns têm uma maior demanda?
Issa: Bem, isso é sempre difícil saber até um ano ou mais após o lançamento. Eu diria que o Japão parece ser um ótimo lugar, mas, em geral, cai bem em todos os lugares. Eu não tenho os detalhes sobre isso. É sempre emocionante saber que a Frontiers está fazendo um ótimo trabalho em todo o mundo, e eu tenho muita sorte de ter um bom selo por trás de mim.


RtM: Falando sobre seus álbuns anteriores, "Can’t Stop" foi uma compilação de grandes canções de bandas que não tiveram o devido reconhecimento, e nesse álbum tiveram outra chance. Como surgiu a ideia de fazer este registro com essas versões? Você participou da escolha?
 Issa: Sim, bem a ideia veio do presidente da Frontiers, e nós pensamos nisso como um pit stop, e que seria algo legal de fazer. Eu acho que eu recebi as músicas da gravadora no mesmo e-mail e depois de ter um olhar para as músicas, eu achei que havia algumas escolhas surpreendentes lá. O engraçado é que eu tinha várias dessas canções foi no meu Ipod, e por isso não foram nenhuma surpresa para mim.


RtM: Alguns dos autores originais falaram com você sobre o que eles acharam das novas versões?
Issa: Eu tive a oportunidade de conhecer o cantor do Boulevard ("Dream On") no Firefest no ano passado, e foi muito legal quando ele veio me dizer que fizemos uma versão esmagadora de  "Dream On" em "Can’t Stop" .

  
RtM: Acredito que muitas pessoas foram procurar as versões originais de "Can’t Stop" depois disso, e também saber mais sobre essas bandas.
E se você fosse fazer um novo álbum com versões de outros artistas ou bandas, quais músicas você gostaria de criar sua própria interpretação ou versão mais recente?
Issa:  Unruly Child - "WhoCries Now" é uma de minhas favoritas, Cheap Trick - "The Flame", Talvez uma outra música do Tower City como "Aint Nobody To Love" seria legal também. Ah!o que álbum que teria sido.! !


RtM: Concordo! Faça-o!! Bem, e sobre o seu debut, "Signo f the Angels", como você se sentiu sobre ter a oportunidade de iniciar uma carreira solo, e como foi que surgiu o interesse da Frontiers Records em seu trabalho? E "Sign ..." soa um pouco mais "Metal", eu acho.
Issa: Sim, bem esta é uma história engraçada. Eu costumava ser muito atuante na cena musical em Oslo, Noruega. Eu estava cantando em várias bandas cover e muitos dos meus amigos estavam em bandas de Metal. Ao longo dos anos eu fiz alguns trabalhos como convidada em algumas bandas de metal, gravações em geral, sem nem sequer pensar em tentar a minha própria carreira. Um dia, recebi um telefonema de Mikael Erikson, do Circus Maximus, e ele me pediu algumas demos, ele mencionou que ele estava em contato com uma gravadora, e eles  tinham perguntado se ele sabia de alguma vocalista feminina para cantar em um dueto. Então eu dei a ele algumas demos- Eu me lembro que  enviei AC / DC, "You Shook Me All Night Long" e TNT “10000 Lovers", essas eram as demos que eu utilizava para promover a minha banda cover. E bem, algumas semanas depois, recebi um e-mail da Frontiers, oferecendo-me um Contrato!

É tão estranho, mas parece que as coisas simplesmente caíram no meu colo, e eu vou ser eternamente grata por isso. Eu acredito que você nunca deve achar que está bom, ou dizer não às coisas, porque você não sabe onde tudo pode chegar. Se eu não tivesse feito muitos trabalhos como convidada para algumas bandas de Metal locais, não acho que eu estaria aqui hoje. "Sign of the Angels" foi um grande álbum, e estranho, quando toda a equipe de produção foi organizada, eu conhecia todos eles !! Então, é um mundo pequeno, há! Eu gosto de fazer cada álbum um pouco diferente a cada vez, e quem sabe, o meu próximo álbum pode ser mais “dark” de novo, tenho esse sentimento de querer fazer isso novamente.


RtM: E sobre o seu segundo álbum, "The Storm" (uma verdadeira "tempestade" de AOR e  incrível Melodic Rock!), Você participou da composição, e tinha ao seu lado os irmãos Martin (House of Lords, Vega, Khymera ). Como foi trabalhar com eles, e porque apenas neste segundo álbum você participou mais ativamente nas composições? Foi porque você estava sentindo mais segura do que na estreia?
Issa: Sim, eu acho que com o primeiro álbum, bem tudo era novo, eu nunca tinha passado de verdade por todo o processo antes, e começamos a gravar meu primeiro álbum logo depois que decidimos fazê-lo, e eu nunca tive tempo de fazer parte do processo de composição. Após o lançamento, entrei em contato com os irmãos Martin e começamos a trabalhar em músicas juntos, eles enviaram algumas back tracks e eu logo enviei de volta, é coisa boa que internet foi inventada, para que possamos enviar as coisas entre nós.

Nós nunca realmente falamos em escrever para mim, só escolher as músicas. Foi fantástico ver canções como "Find Me" em um álbum ... Quando a Frontiers entrou em contato novamente para iniciarmos “The Storm”, tivemos que “cavar” algumas músicas e ver se alguma dessas canções poderia caber no álbum, eu sempre quis ter a música "Invencible" em um disco e eu acho que foi deixada de fora de outro álbum, de modo que eu pude pegá-la pra mim. É uma música que significa muito para mim e é muito pessoal. Lembro-me de cantar a demo mais ou menos um ano antes, e era difícil de recriar a mesma emoção quando a gravação do álbum iniciou, mas no final eu fiquei feliz com o resultado ... Agora, alguns anos depois, a lista de canções está muito maior, de modo que é por isso que este novo álbum conta com muito mais músicas que eu participei na composição.




RtM: Você tem uma voz linda, canta com muito sentimento. E sobre o seu começo na música? Quem foi seu grande incentivador e quais são suas principais influências ou inspirações como cantora, e também na música em geral?
Issa: Bem, quando eu era criança, eu ficava cantando por todo lugar o tempo tooodooo!!! (hahah) Eu ainda me lembro dos meus pais me oferecendo algum dinheiro, para que eu parasse pelo menos um pouco (heheeh) - é claro que a minha mãe foi minha maior incentivadora. Tenho muita sorte porque eu tive a chance de estar em muitas bandas e ter essa experiência que tantos novos artistas não têm hoje, com todos estes shows de talentos na TV. Eu acho que valeu a pena e eu sabia que muito em breve meu trabalho em bandas covers valeria o peso em ouro para mim,  onde eu gostava de cantar canções de rock, e eu simplesmente amava como eu encaixava naquelas maravilhosas canções. E não para se esqueça de que eu acho que meu pai ainda usa  calças jeans estilo anos 80, de modo que eu posso dizer que cresci com a música dos anos 80.

Eu sempre fui uma fã de grandes vozes, então Robin Beck e Ann Wilson eram escolhas óbvias, principalmente porque eles eram do sexo feminino. Um pouco mais tarde na minha vida, eu acho que as vozes masculinas vieram a mim, era tão legal ... eu acho que bandas como U2 também desempenharam um papel .. Apesar de tudo, tinha muitas influências, mas realmente não havia descoberto o que gostava de fazer até que eu comecei a tocar com uma banda.


RtM: Eu me lembro que você ganhou um concurso, onde cantou a música "Fade Away", de Stian Aarstad (ex-membro do Dimmu Borgir). Conte-nos um pouco sobre como foi essa oportunidade, eu acredito que deve ter aberto muitas portas para você.
Issa: Haha! Sim, eu comecei a trabalhar para um artista chamado Jahn Teigen em Oslo, quando eu tinha 16 anos. Eu comecei a fazer audições para ele, como ele estava começando uma escola de talentos em Oslo. Jahn Teigen é bem conhecido na Noruega, e eu me lembro de viajar para Oslo para ir para a audição. Eu fui escolhida por um de seus shows de talentos em um clube local, e eu estava tão animada. Então, um dia, eu esbarrei em Jahn e seu assistente, quando eu estava fora distribuindo meu currículo para o trabalho.

Algumas semanas depois, ele me ligou e perguntou se eu ainda estava à procura de um emprego, porque ele tinha um emprego como recepcionista em seu escritório. Eu aceitei e tive uma explosão de trabalho lá. Inclusive arranjando shows, onde cantei com ele. Stian Aarstad estava trabalhando como engenheiro no estúdio e, assim, passamos muito tempo juntos e nos tornamos um casal no ano seguinte. Stian costumava escrever algumas músicas, então nós gravamos "Fade Away" juntos e entramos em uma competição para o canal de TV Fox Kids. Nunca, jamais que eu acharia que iria ganhar, mas fomos lá, e foi incrível olhar para o CD quando eu o recebi pelo correio,  eu estava lá junto com todos aqueles grandes artistas.

  

RtM: E como é ser uma cantora de AOR e Melodic Rock em um país como a Noruega, que é bem conhecido pelas bandas de Black Metal? Acredito que muitas pessoas devem se surpreender quando descobrem que você é de lá. Inclusive eu vi um site publicar erroneamente que você era uma cantora sueca! Hehe!
Issa: Haha! Sim, eu sei, e não tenho nenhuma pista de onde tiraram Suécia. Eu acho que muitas bandas de rock melódico são da Suécia, então eles simplesmente acharam que sou de lá! haha ​​!! Sim, a Noruega tem uma enorme cena de Metal ... como eu disse eu fiz um monte de participações em álbuns de Metal, e alguns dos meus melhores amigos são muito ativos na cena Metal .. eu gosto de Metal Melódico, pessoalmente, e posso lhe dizer, é fascinante para assistir essas bandas .. a quantidade de parcerias musicais é impressionante, e eles são as pessoas mais agradáveis do mundo ​​e muuuuito talentosos .. a maioria dos caras que eu toquei em bandas, tinham seus próprios grupos, por isso foi uma festa para eles tocar rock dos anos 80 comigo.


RtM: E além da música, quais são seus hobbies? O que você gosta de fazer no seu tempo livre?
Issa: Eu acho que eu sou como todo mundo. Eu gosto de socializar, adoro meus dois cães, e, claro, então, temos música !! Vou contar um segredo, eu sou uma “Clean Freak" (em tradução livre: maníaca por limpeza) !!! Eu gasto muito tempo arrumando e limpando, não posso fazer nada sem uma casa organizada! Ah! se você tivesse ideia! (Hahaha)


RtM: Haha, seu segredo está revelado !! Bem, eu tenho uma curiosidade, você parece ser muito alta, qual é a sua altura?
Issa: Haha Sim, tenho 1,75 cm de altura ... típica escandinava hahah!


RtM: Issa, obrigado pela sua atenção, estamos à espera do novo álbum (a entrevista foi feita poucos dias antes da data de lançamento, 20/02), e talvez a sua visita aqui no Brasil (Olá produtores!)! E agora eu deixo o espaço para sua mensagem para os fãs brasileiros, e também os fãs de todo o mundo, uma vez que esta entrevista também será publicada em Inglês, e nós temos muitos leitores em outros países, como Estados Unidos e Alemanha.
Issa: Muito obrigada, foi um prazer, eu gostaria muito de ver o Brasil, estou apenas esperando por um convite!
Sucesso!

Issa xxx


Entrevista: Carlos Garcia
Tradução e edição: Carlos Garcia
Fotos: Arquivo pessoal da artista e divulgação

Leia a resenha do álbum aqui