segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Anathema: Ainda Expandindo Sua Sonoridade


Um dos pilares do Doom Metal mundial, surgido no inicio dos anos 90, Anathema foi, ao longo dos anos, deixando de lado o estilo que ajudou a esboçar, para ir se dedicando cada vez mais à trabalhos mais Gothic Metal/Rock, para chegar em discos mais experimentais, mas que ainda mantem a melancolia das composições da banda inglesa.



É o caso do novo disco dos caras. O álbum “We’re Here Because We’ere Here” (2010) marca o fim de um espaço de 7 anos desde o último trabalho inédito completo da banda, o aclamado “A Natural Disaster” (2003), que dava a prova definitiva de que Doom Metal não significa nada mais para a banda.



É um pouco complicado resenhar um álbum que foge em muito dos padrões que estou habituado a ouvir, especialmente em se tratando de um disco que tem sido classificado como Neo-Progessive. Talvez cometa um equívoco aqui, mas irei classifica-lo dentro do Gothic Metal, mais como categoria de organização aqui do blog do que em se tratando da sonoridade singular desse álbum.

Posso dizer que o álbum é maravilhoso. Nunca escutei um trabalho do grupo que conseguisse me colocar numa “transcendência” imediata quanto este novo disco. O álbum, que mostra toda a majestade de Vicent Cavanagh (Vocal e Guitarra), traz ao longo de suas 10 faixas canções menos “depressivas” (me desculpem o termo) que nos discos anteriores, mas que não significa que o álbum está “alegre”, mas sim que nos passa aquela sensação de “esperança”. Algo entre o nostálgico e o inevitável da existência.



A canção que caiu imediata e intensamente nas minhas graças fora a perfeita “Dreaming Light”. Simplesmente impossível e injusto querer transformar em palavras a beleza da canção. É de arrepiar.



“Thin Air” inicia o álbum com bastante clima progressivo, com várias passagens suaves. Também se mostra bastante progressiva “Get Off, Get Out”, lembrando até mesmo Pink Floyd (era Syd Barret). “Universal” traz um arranjo inicial muito interessante, que nos captura pela nostalgia presente no clima, especialmente ajudado pelos violinos e a vos de Cavanagh.



Aos fãs, se escrevi algo inadequado aqui, minhas considerações, afinal, embora goste muito do grupo e o ouça com certa regularidade, talvez não tenha a autoridade para expressar minimamente o que o Anathema quis passar com o novo disco. Mas acredito que o álbum deste ano coloca o grupo ainda em um patamar mais alto e reconhecido, na medida em que expande a sonoridade da banda.

Altamente indicado aos fãs do grupo e apreciadores de músicas ricas em arranjos e suavidade/melancolia.

Stay on the Road

Texto: EddieHead

Ficha Técnica

Banda: Anathema
Álbum: We’re here Because We’re Here
Ano: 2010
País: Inglaterra
Tipo: Gothic Metal/Neo-Progressive



Formação

Vicent Cavanagh (Vocal e Guitarra)
Daniel Cavanagh (Guitarra)
James Cavanagh (Baixo)
John Douglas (Bateria)
Les Smith (Teclados)
Lee Douglas (Vocal)



Tracklist

1. Thin Air
2. Summernight Horizon
3. Dreaming Light
4. Everything
5. Angels Walk Among Us
6. Presence
7. A Simple Mistake
8. Get Off, Get Out
9. Universal
10. Hindsight

2 comentários:

Flávio Mello disse...

Bom, primeiro parabéns, gostei muito do que vi aqui... quando ao que irão achar os fãs da banda, como eu, não importa... o que você escreveu, além de fazer sentido para mim, que amo o som dos caras, é subjetivo e tem mesmo que ter suas reflexões, afinal o blog é seu... no mais... gostei de ler o que li... eu faça alguns coveres deles com minha banda... e me identifico demais com eles...

então...

é isso ai.

F. Mello

EddieHead disse...

Vlw pelo comentário Flávio. Legal quando o cara dá uma bola dentro quando arrisca resenhar um som distinto das demais bandas que aparecem aqui pelo blog.

Vlw