domingo, 13 de julho de 2014

Entrevista - Concordea: From Russia With...Metal!


(CLICK HERE TO READ THE ENGLISH VERSION) Quando se pensa em Heavy Metal na Rússia, o primeiro nome que vem e mente é “Aria”, banda fundada em 1985 (ainda na antiga URSS), o “Iron Maiden Russo”, com suas belas letras, muitas escritas pelos poetas Alexander Yelin e Margarita Pushkina,  provavelmente é a maior referência do Metal daquele país, uma das primeiras a romper barreiras.

Muitas novas bandas tem surgido na Rússia, e o Concordea, vem buscando seu espaço, trabalhando duro, tendo uma sonoridade muito criativa, com composições bem trabalhadas, a exemplo do clássico “Aria”, também com letras belas e poéticas (porém, com a diferença que são escritas pelos compositores da própria banda),  mostrando que, quem sabe possam ser em breve, uma nova referência do Heavy Metal russo. Talento eles mostraram possuir, e deixam a certeza que e um próximo álbum, talvez com um produtor experiente e um melhor estúdio, alçarão vôos mais altos.

Para levar aos leitores, como sempre buscamos fazer, um pouco mais sobre as novas promessas que surgem pelo mundo metálico, conversamos com a bela e talentosa guitarrista e fundadora Daria Piankova, que nos conta sobre a cena russa (onde podemos perceber que não é só no Brasil as dificuldades de manter uma banda de Metal), as gravações do recém lançado primeiro trabalho, a participação do vocalista italiano Andrea Bicego (4th Dimension), e até sobre a copa do mundo de 2018, e muito mais, confira a seguir !

 Daria Piankova
 Road to Metal: A banda foi fundada por você e Alexey, em 2011, certo? Conte-nos um pouco da história da banda.
Daria Piankova: Na verdade o primeiro membro da banda que conheci foi Nikolay Konstantinov, nosso baixista e compositor. Isto foi em 2009, quando eu estava começando a minha busca pelos companheiros para tocar. Mas nossos caminhos seguiram em separado. Nós nos encontramos novamente no verão de 2011. Eu já havia encontrado Alexey antes, no inverno. A procura foi longa ...

O line up só foi concluído em 2012. No início de 2013 o vocalista Dmitri nos contou sobre sua decisão de partir de Ekaterinburg e seguir carreira de cantor de ópera. Além disso, devo contar-lhe sobre algumas mudanças que  aconteceram recentemente: o segundo guitarrista Alexey deixou a banda, agora vamos contar com Konstantin Kirillov, e Denis Baranov está  nos vocais. Essa é a nossa curta crônica.
      
RtM: E para os leitores que estão conhecendo a banda, como você descreveria o som do Concordea?
DP: Temos um poderoso som de guitarra, bateria Thrash, teclados "atmosféricos". E toda essa massa sonora é liderado por vocais altos ... isso é o que você pode ouvir no nosso EP. Apesar do fato de que somos de uma banda, todos nós temos  diferentes gostos musicais (felizmente ou infelizmente, depende do ponto de vista heheeh) e você pode sentir isso ao ouvir nossas músicas.

Line up atual, com Alexey, Denis, Daria, Konstantin, Nikolay e, ao fundo, na bateria, Roman
RtM: Quais são as influências musicais que você pode nomear e de que forma você acredita que a banda vai ter um diferencial no cenário?
DP: Como as músicas estão sendo escritas por Nikolay e eu, há muitas influências. Até onde eu sei, Nikolay foi influenciado por diversas bandas de vários estilos, em diferentes períodos da vida: Aria ( banda de heavy metal muito famosa aqui na Rússia, Rammstein, King & Jester (Korol’ i Shut in Russian, uma banda Russa de Punk Rock) , Nightwish, Sonic Syndicate.

Quanto a mim, eu gosto de um monte de música diferente também, desde a música barroca e música clássica em geral, ao rock clássico, de symphonic black metal/death a New Age. Também tive forte influência, obviamente, pelo Power Metal  italiano e finlandês, da cena dos anos 90 e 2000 (Rhapsody, Vision Divine, labirinth, Highlord, Nightwish, Sonata Arctica, etc) Portanto, esta variedade será certamente impressa em nossas músicas também no futuro.

RtM: Com relação ao que eu perguntei antes, eu vou dar a minha opinião sobre o que eu aponto como um diferencial, que são as letras, e as variações no som, transmitindo várias emoções e sentimentos. Comente um pouco sobre o que te inspira a escrever as canções.
DP: Toda a beleza que me faz experimentar sentimentos. As emoções fortes movem-me para o trabalho criativo. Uma grande canção, um concerto inspirador, uma pessoa original, um texto profundo, uma vista inesquecível ... às vezes é o suficiente ver as nuvens mudando no céu ou o modo como o sol brilha e você já quer escrever sobre isso.


RtM: Para gravações dos vocais em "Before the Sunrise" vocês contaram com Andrea Bicego, da banda italiana "4th Dimension". Como surgiu a oportunidade? Existe possibilidade dele contribuir novamente com banda?
DP: Quando Dmitri decidiu deixar a banda, nós já vínhamos conversando com Andrea por vários meses, discutindo vários assuntos musicais. Se uma banda não tem um cantor, significa que não há concertos, não há gravações. Ensaios infinitos, sem qualquer chance de ser ouvido. Durante muito tempo, não conseguimos encontrar alguém que pudesse se encaixar pelo menos um pouco da nossa música. E eu tive a ideia de convidar Andrea (Bicego,vocalista do 4th Dimension), embora isso envolvesse riscos. Eu ouvi o seu trabalho ao vivo e também em CD, achei que sua voz poderia perfeitamente combinar com a música do Concordea.

Ele imediatamente aceitou a minha oferta para cantar nossas músicas, ele gostou do material. Então ele gravou algumas versões demo,  primeiro foi "Behind the wind", e ele saiu-se de forma fantástica ... Nós TODOS gostamos de seu desempenho e Andrea se tornou nosso cantor oficial para as gravações. Mas, como você pode imaginar, para uma banda como a nossa, é um enorme desafio viver e tocar em um país e  ter um vocalista em outro ... Embora tivéssemos algumas conversas a respeito de concertos comuns com Andrea, há muitas dúvidas sobre a possibilidade de realização. No entanto, eu acredito que tudo muda e tudo é possível se ambas as partes têm vontade recíproca e um propósito ... Por falar nisso, como eu já disse, no momento estamos realizando concertos com um cantor local, e suas habilidades vocais são muito diferentes das  de Andrea.

Andrea Bicego e Daria durante as gravações
RtM: Daria, eu sei que você escreve boa parte das letras e músicas, e muitas das linhas vocais  também. Como foi trabalhar as linhas vocais com Andrea? Ele também ajudou com as composições?
DP: Bem, a autoria musical é de cerca de meio a meio, metade escrito por Nikolay,  metade por mim. Devo dizer que Nikolay é ótimo com os arranjos, especialmente arranjos de teclado. A maior parte das linhas vocais são minhas, você tem razão. É por isso que eu confiei na capacidade de Andrea: ele é muito preciso e atencioso com as letras e melodias.

Ele sabia que eu tive de traduzir meus textos originalmente em Russo para Inglês, e ele era muito cuidadoso com o seu sentido e forma, quando ele ia mudar alguma coisa para torná-lo mais pronunciável. Eu acho que nós estávamos na mesma sintonia; ele pegava imediatamente a entonação certa e ataque que eu pedia. Eu gostei de quase todas as soluções criativas que ele ofereceu, e certamente ele parecia ser bastante profissional para uma pessoa tão leiga como eu. Eu sou muito grata a ele. Foi uma grande experiência ... e, por vezes, muito difícil também, ahahah.

RtM: Bem, sobre seu debut, o EP "Before the Sunrise", conte-nos um pouco mais sobre a gravação e produção. E como vocês chegara até o selo DeFox/Heart of Steel?
DP: A parte instrumental foi gravada aqui em Ekaterinburg, no estúdio "Rukami". Foi a primeira experiência para muitos de nós, e que não foi tão fácil para mim, hehehe. Oorreu que eu gravei quase todas as partes de guitarra, com exceção de alguns solos. Os vocais foram gravados no "Greenriver Studio" em Varese, Itália.

Eu acompanhei todas as sessões lá. O "Greenriver Studio" foi o mesmo onde toda a mixagem e masterização foram feitas. O estúdio pertence a Tancredi Barbuscia. Ele fez um ótimo trabalho! Foi Andrea que o recomendou. O segundo álbum do 4th Dimension foi completamente gravado e mixado lá, afinal de contas. Quanto ao selo "Heart Of Steel" , a mesma situação: Andrea ofereceu nossos materiais para eles, e depois isso eles estavam prontos para lançá-lo.
   
RtM: Como eu disse, as letras são um diferencial nas canções do Concordea, e a faixa-título tem uma letra bem poéticas (Como sabemos, a Rússia tem uma grande tradição nessa área, de pensadores e poetas), e é minha faixa favorita até agora! Eu gostaria que você comentasse um pouco mais sobre esta canção.
DP: Esta canção foi escrita por Nikolay, e posso dizer que é um “hit”. Originalmente ela levava o título de "In the Shadow", e eu comecei à partir deste ponto. A faixa é muito poderosa, bateria grandiosa, guitarras potentes e teclados principais muito bonitos, que tornam o seu espírito muito místico, agressivo e sombrio. Eu imaginei uma floresta sombria: quando último raio de sol se perde, parece que quando você perde a última esperança ... na verdade, você vai encontrar a descrição de uma noite mística nas letras. Mas anseio por luz e calor, sensação de desespero, muitas vezes, tende a esquecer que "a noite é mais escura antes do amanhecer". Aliás, entre os 4 textos, este é o que Andrea trabalhou mais.


RtM: E sobre "Behind the Wind", soa mais melódica e Prog, mas com a parte final quase Thrash! Eu acho que também traz a tradução da essência da banda como um grupo com suas diversas influências, e como todos esses fatores funcionam juntos. Você concorda? Você pode comentar sobre isso?
DP: Ao meu ver, "Behind the wind" é a mais complicado entre as quatro músicas do EP. Cada instrumento interpreta esta composição da melhor maneira possível. A ideia original foi minha, Nikolay acrescentou o belo refrão, e eu compus a linha vocal. Roman trabalhou duro no arranjo para a bateria, que acabou por ser muito complicado. Alexey (guitarrista) decidiu compor um solo, Andrea mudou um pouco a estrutura, ele deixou o espaço para solo de teclado e Alexey (teclados) inventou uma bela variação de sintetizador sobre o tema principal.

É uma canção muito “Concordea”, é épica, romântica e agressiva; melancólica e um pouco desesperada. A parte final é muito próxima ao thrash, você notou certo! A bateria intensifica o efeito dramático.
Além disso, você vai encontrar lá as variações do riff de guitarra, que são muito intensivos, também... E parece que os acordes dramáticos finais querem fazer você desistir de qualquer esperança, as letras ajudam muito bem: "Vossa Alteza é pego pelo vento e levado ". Eu gosto muito do desempenho de Andrea aqui. Seu ataque e estilo de expressão são apenas uma excelente. Ele pegou bem as entonações que eram quase inatingíveis para os cantores que tínhamos antes.

RtM: Continuando, fale mais sobre a bela letra desta música. "Saciar a minha sede, saciar meu fogo, aliviar-me de pensamentos dolorosos!" E então... não vai haver nenhuma resposta! (não haverá resposta...) "
DP: Quanto as letras... Eu gosto de que os ouvintes façam as suas próprias associações. Andrea disse uma vez que ele tinha lembrado da “Tempestade”, de Shakespeare, ahahah. Bem, as letras têm fundo muito pessoal. Por uma questão de fato, é uma canção sobre o meu amor não correspondido, sobre a minha paixão.

As letras poéticas e dramáticas de Daria são parte importante da identidade do Concordea
RtM: Como dissemos antes, as canções do Concordea têm várias nuances, contrastes e sentimentos, e complementando, vamos falar sobre as duas últimas faixas, gostaria que você comentasse " Delusive Shades", que soa mais "dark" e tem uma linha vocal interessante , onde Andrea praticamente interpreta a canção!
DP: Eu concordo totalmente com você! Eu considero " Delusive Shades", a canção mais "mística" do EP do ponto de vista tanto da parte instrumental, como da parte vocal e textual... As letras que eu escrevi para ela são minhas favoritas. A mesma pessoa que me inspirou a escrever "Behind the Wind", foi a minha inspiração para "Delusive Shades” também. Na verdade, as letras sobre "dança em círculo de tons" e "transformando-se em uma sombra" são a interpretação de uma fantasia ou, melhor dizendo, um vestido alegórico para algumas camadas muito pessoais da minha vida, a vida dessa pessoa e os meus fortes sentimentos em relação a ele... Mas, na verdade, toda mundo poderá interpretar o texto a sua maneira, eheheh.

A música soa muito gótica, e cada parte de guitarra, cada parte do teclado, a cada mudança de ritmos criam uma atmosfera especial.  Desculpem-me (não é legal elogiar as próprias composições, heheeh), mas a parte final desta canção ainda me dá arrepios! Esta palavra “wistfully” (N. do R.: Daria cita aqui o refrão, e realmente, essa parte tem um clima bem místico e tenso) soa perfeita em Inglês e soa como um feitiço para o final... E o rangido duradouro da guitarra faz você se sentir profundamente na atmosfera mística da música, e faz você se encantar... bom, Isso é o que acontece comigo ouvindo a música, eu não sei o que os ouvintes dirão, ahahah.

Andrea Bicego: Prestem atenção nesse cara! Grande revelação italiana.
RtM: ... quanto a  "Message", poderíamos dizer que soa mais "brilhante" e mais "up".
DP: Quanto à "Message", é  uma alegre e pacífica canção, se trata de coisas esotéricas: cada música que escrevemos é um dom das "forças supremas" que se traduzem em músicas e letras. E toda essa canção é uma espécie de "mensagem" que enviamos aos nossos ouvintes ... E essas "mensagens"  precisam ser sinceras e amáveis em essência, porque temos de concentrar a nossa consciência sobre a beleza, harmonia e paz para criar uma realidade pacífica e bela em torno de nós. É simples e é difícil. A variedade musical de "Message" é exatamente sobre isso: há muitas passagens de guitarra, existem vários ritmos, baterias incomuns e solos rápidos. E a voz de Andrea se adapta a música muito bem, poderia dizer que seu vocal aqui soa “leve”.
       
Nikolay on stage!
RtM: Bem, vamos saber um pouco mais sobre você. Quando você começou a tocar guitarra, e como nasceu a paixão por este estilo musical?
DP: Eu comecei a tocar violão um pouco tarde, quando eu tinha 19 anos, eu peguei algumas aulas particulares.. De um modo geral, o meu primeiro instrumento já era a flauta quando eu tinha 7 ou 8, e com a idade de 10 eu comecei a tocar piano. A paixão por este estilo musical nasceu em 1999, quando eu ouvi pela primeira vez para o álbum "Symphony of Enchanted Lands". Eu tinha 12 anos, eu estava completamente encantada por Rhapsody (of Fire) e minha vida mudou totalmente a partir daquele momento.

RtM: Falando sobre o cenário russo, conte-nos como é o apoio para as bandas, o espaço para shows e condições (incluindo econômicas) para manter uma banda de Metal? Algum tempo atrás, a Rússia era fechada para muitas coisas.
DP: Bem, um dos chamados "apoios" é quando você pode  alugar algum espaço totalmente equipado, para pagar 1-2-3-4 ou  muitas horas e tocar lá com os seus companheiros de banda. Há uma grande quantidade de pequenos eventos realizados em pequenos pubs ou bares, onde várias bandas podem tocar em uma noite. Se você tem dinheiro e capacidade suficiente, você sempre pode pagar, e aí tocar uma vez como banda de apoio em alguma turnê de alguma estrela. Muitas vezes, o mesmo acontece com os festivais. Como você pode ver, a única e mais confiável forma de apoio, é o nosso entusiasmo e nosso amor para com o que tocamos e o que fazemos.


RtM: Bem, você é um dos fundadores da banda, compositora, e tem outras responsabilidades, praticamente tendo de assumir uma liderança natural. Em sua opinião, quais habilidades e características que um líder moderno de uma banda precisa possuir?
DP: Além das habilidades musicais,  deve ser bastante flexível, forte o suficiente ... cheio de várias ideias e deve traduzi-las em realidade.  Deve ser interessante, amigável e talvez um pouco excêntrico a fim de fazer os outros segui-lo.... É assim que eu vejo isso no momento.

RtM: Eu percebo agora que aqui no Brasil estamos tendo a Copa do Mundo de Futebol, e a próxima Copa será na Rússia. Aqui houveram muitas críticas por causa de gastos do governo, e algumas manifestações populares e protestos, mas quanto os eventos e recepção aos turistas, tudo correu relativamente bem, porque o povo brasileiro é muito hospitaleiro. E aí no seu país, como vocês estão vendo o fato de que a Rússia será o próximo país a receber a Copa do Mundo?
DP: Você sabe que está prevista a realização  também em Ekaterinburg? Eles querem construir e reconstruir estádios e prédios, mudando algumas construções dentro da cidade. Vai afetar fortemente a vida das pessoas. Muitos cidadãos de Ekaterinburg e de outras cidades também disputam esses programas. É óbvio, eles não têm sentido, tal volume de investimentos poderiam ter aplicação muito mais útil!

Denis Baranov é o atual vocalista nas apresentações ao vivo
RtM: Bem, Daria, obrigado pelo seu tempo, a banda tem um grande potencial e talento, desejamos muito sucesso para vocês, e espero que um dia vê-los ao vivo em seu belo país, e talvez em um grande festival como Hellfest, Wacken ou sweden Rock ... e, porque não, aqui no Brasil! Deixo o espaço para sua mensagem final aos leitores!
DP: Uau, Carlos, muito obrigado por nos desejar tudo isso, e  por esta incrível oportunidade de dar a entrevista para o seu grande webzine! Vamos fazer o nosso melhor. Aos leitores do "ROAD TO METAL", continuem a ouvir boa música, acompanhem-nos, continuem a seguir o "Road to Metal!", sejam positivos e sorriam mais!

Entrevista: Carlos Garcia
Tradução/Edição: Carlos Garcia
Fotos: Arquivo da banda






Web site (acesse e ouça o álbum)
Facebook
Label site

iTunes (buy the songs)
Read the review of the album on Road to Metal









Nenhum comentário: