domingo, 8 de março de 2015

Entrevista - Anette Olzon: Brilho Próprio



Anette Olzon, esta talentosa suéca, dona de uma voz bela e delicada, começou cedo na música, mas também por diversos empregos antes de viver apenas disso, participando de shows de talentos, bandas cover (como a Take Cover, que fazia covers de ABBA) e tendo destaque com a Alyson Avenue, banda de Melodic Rock com a qual lançou dois bons álbuns, até que ficou mundialmente conhecida após ser escolhida como a nova vocalista da banda finlandesa Nightwish. Após dois álbuns com a banda e viajar o mundo, ano passado a vocalista teve uma saída conturbada do grupo finlandês, porém, já com um álbum solo em mãos ("Shine", lançado ano passado), muitos planos, e também aliviada por voltar a ter uma vida mais tranquila, Anette segue em frente, mostrando que possui brilho próprio, talento e personalidade para seguir sua carreira e também dedicar-se a familia e outras atividades. Confira a seguir entrevista com a cantora, que também acaba de estrear um show em canal de TV Finlandesa.
                                             (English version HERE)

RtM:Primeiro de tudo, gostaria de dizer que eu realmente gostei do seu álbum, música de bom gosto, belas interpretações, moderno e emocional. Há quanto tempo você vinha trabalhando no álbum? Quando você começou a compor você tinha em mente algum direcionamento musical?
Anette: Muito obrigado, feliz em ouvir que você gostou! Eu escrevi todas as músicas em 2009,  quando eu decidi que queria fazer um álbum solo, apenas uma não. Uma canção foi escrita pouco antes do lançamento, “One Million Faces”. Quando eu comecei a escrever as músicas eu ainda estava no Nightwish e não queria que soasse parecido com a minha banda, e é por isso que é um álbum muito mais suave.


RtM: E como você avalia a recepção do álbum, um ano praticamente após o lançamento? Eu acompanhei as opiniões e comentários dos fãs, e são em sua maioria positivas. Claro, sempre vai ter aqueles que estavam esperando algo mais próximo ao Nightwish, ou mais voltado para o metal sinfônico. Bem, eu acho que é algo que você vai carregar para sempre, o fato de que você foi  ex-vocalista do Nightwish.
Anette: Sim, todos os comentários têm sido muito bons e muitos fãs realmente amaram o álbum, mas como você diz, aqueles que são puramente fãs de Metal, claro, pensaram que eu faria um álbum de Metal, e quando não foi o que fiz, meio que o rejeitaram.



RtM: A faixa-título, "Shine", é muito bonita, traz uma roupagem moderna, refrão cativante. Gostaria que você falasse um pouco mais sobre essa música e sua bela letra.
Anette: Shine é uma música muito especial para mim, principalmente porque as letras  significam muito para mim, e como eu quero que, aqueles que foram vítimas de bullying ou ridicularizados, maltratados por alguém, levantem e sintam esperança em minhas letras. “Shine” fala que essas pessoas que querem intimidar você são apenas pessoas amargas, sem vida, então simplesmente levante a cabeça e siga em frente. Mostre a eles que você é melhor do que eles por permanecer forte.


RtM: Acredito que algumas das composições possam ter refletido um pouco o clima conturbado  no Nightwish. Ele traz uma certa melancolia, sendo muito emocional. Lembro da música "Lies", que parece que reflete alguns problemas que você passou.
Anette: Bem, na verdade não, porque “Lies”, por exemplo, é sobre o meu casamento que não estava mais funcionando, o que realmente aconteceu logo após eu entrar no NW. E o sentimento geral de melancolia é só porque eu busquei memórias e coisas de dentro de mim, sentimentos que eu vinha internalizando, e os trouxe para a superfície, o que deu as letras e músicas um sentimento melancólico.


RtM: "Falling" também traz grandes melodias e refrãos cativantes, e é mais um dos destaques na minha opinião. Eu gostei dessa música, e eu acredito que ela segue uma linha como "Lies" e "Shine", mostrando já sua personalidade como artista solo, criando uma identidade no primeiro álbum.
Anette: “Falling” foi na verdade a primeira música que escrevi quando nos sentamos pra compor,  e também é  a mais “Metal” do álbum.  Após essa canção eu senti que eu queria que as músicas partissem para um lado mais suave e menos Rock/Metal, assim é por isso que se difere um pouco das outras.


RtM: "Watch me From Afar" é outra canção forte, e mostra um lado mais "New Age" e "Folk", e eu senti você especialmente inspirada nesta canção, com uma interpretação cheia de emoção. Conte-nos um pouco mais sobre esta canção.
Anette: Essa música é muito especial para mim e para Stefan e Johan, porque quando nós nos sentamos no piano e bateria apenas experimentar a melodia, então o sentimento dela veio a nós imediatamente, e a letra é para  o meu marido Johan, por isso é uma verdadeira canção de amor.


RtM: Falando sobre inspiração, que os cantores e cantoras que você citaria como suas maiores influências?
Anette: As vozes que eu ouvia na minha infância, como Agneta Fältskog, Barbra Streisand, Sting, Carola, Whitney Houston e Mariah Carey. Grandes vozes que sempre me inspiraram.


RtM: Você teve alguns parceiros na composição do álbum, como Anders Bagge, gostaria que você falasse um pouco sobre a contribuição dele nas composições, produção e os resultados finais do álbum.
Anette: Bem, Anders não foi co-writer, mas eu usei a sua equipe de compositores, Stefan Örn e Johan Glössner e gravei o álbum em seu estúdio por isso ele foi lá e deu suas opiniões, o que foi muito útil. Ele é um grande compositor e sabe como construir grandes linhas melódicas e criar aquele "gancho" para as canções.


RtM: Em um futuro álbum, quem você gostaria de convidar para um dueto, ou dividir composições?
Anette: Eu quero escrever canções com Stefan e Johan novamente e também Martijn Spierenburg, do Within Temptation, com quem escrevi "One Million Faces". Tenho também pedido ao Peter Tägtgren do Pain,  para co-escrever comigo, o que vai ser divertido! Duetos...eu não sei quem, mas se eu tiver uma música que sirva ou necessite de um dueto, eu acho que existem muitos bons. Jake do Amaranthe tem uma grande voz e é um amigo meu, por isso ele seria uma boa escolha para uma colaboração.

RtM: Gostaria que você falasse um pouco sobre a experiência no filme "Imagenaerum", e se bem me lembro que você já teve experiências no teatro. Você pensa em fazer algum trabalho deste tipo no futuro?
Anette: Foi uma boa experiência e também difícil, porque eu tenho um pouco de medo do palco e mais ainda quando há um grande número de pessoas com câmeras em torno de mim, de modo que fazê-lo foi um pouco estressante. Mas foi ótimo, por exemplo ver como um filme é feito. Eu não acho que eu irei procurar estrelar um outro filme, mas um musical seria bom fazer. Isso encaixaria melhor comigo.


RtM: Eu conheci o seu trabalho  através de um dueto no álbum "Conspiracy", de Michael Bormann, a música "Two of a Kind", a partir daí, fui à procura de álbuns do Alyson Avenue, e como um fã do Melodic Rock/Hard Rock, Eu gostei muito. Gostaria que você falasse um pouco sobre esta participação no álbum de Bormann.
Anette: Michael é um bom amigo do Niclas, do Alyson Avenue, então ele me perguntou, logo em seguida, se eu queria cantar em uma  canção sua,  e assim aconteceu. Nós nunca nos encontramos, hoje em dia isso é comum, você enviar as músicas um para o outro somente, e é isso o que nós fizemos.


RtM: E o seu trabalho com Alyson Avenue? Você têm falado com os caras? Talvez você possa voltar para a banda? Eu acho que seria ótimo, especialmente com a exposição que você teve, juntamente com o potencial da banda. Eu acho que sua voz é perfeita neste tipo de música (Melodic Rock), e eu acho que você deve fazer algo no futuro. O que você diz? Lembrei-me também a participação no álbum do Brother Fire Tribe, que segue a mesma linha.
Anette: Falamos o tempo todo, eu e Niclas, pois somos como família um para o outro. Falamos sobre como recomeçar o Alyson novamente e todos nós queremos que em algum momento isso aconteça, mas deve ser no tempo certo para todos e Niclas está bastante ocupado compondo canções para seu novo álbum com o Sapphire Eyes e eu estou ocupada com um programa de TV na Finlândia nesta primavera (O programa estreou dia 1º de março, no final da entrevista você pode ver o vídeo, ou acesse AQUI). Mas espero que nós tenhamos algum tempo em breve =)


RtM:  Falando ainda sobre o Alyson Avenue e Melodic Rock, acho que é incrível como a Suécia é um país que produz muitas bandas e artistas de grande qualidade, que criam ótimas e cativantes melodias. Como você explica este "fenômeno", esta tendência para a criação de grandes melodias? Sem falar no ABBA, que é idolatrado, inclusive por músicos de Metal, tendo até tributos. Recentemente eu fiz uma entrevista com Snowy Shaw, e lembrei que ele tem tatuado ABBA em seus dedos.
Anette: Eu acredito que é como você diz, o nosso amor por melodias cativantes e boas. Nosso modo de falar também é muito melódico, talvez isso tenha algo a ver com isso. E o ABBA é, creio eu, para muitos músicos suecos,  ídolos,  e é música que ouvíamos enquanto crescíamos e, para mim,  ABBA são os reis e deuses do pop e das grandes melodias, icones.


RtM: Você tem planos de fazer alguns shows ao vivo ou turnê para divulgar o seu álbum? E quais músicas você gostaria de tocar ao vivo? Além de canções de seu álbum, que mais você deseja incluir em um set-list?
Anette: Eu não fiz tantos shows ao vivo do álbum devido a ter filhos pequenos, e não queria deixá-los por longos períodos, mas agora eles já estão maiores e eu espero que eu possa sair em tour com o "Shine", bem como com um novo álbum, que espero lançar num futuro próximo. Ao vivo eu já toquei todas as minhas músicas de "Shine", e também algumas novas canções que eu escrevi, alguns covers também. O meu próximo show deverá ter algumas músicas de meus tempos do Nightwish, e eu acredito que alguns fãs vão gostar disso.


RtM: E o que você faz agora que tem mais tempo livre? Deve ser bom ter mais tempo para estar com a família. Eu li em uma entrevista que você iria se concentrar em continuar seus estudos, e trabalhar com caridade, muito legal. Você está pensando em ficar mais longe de uma carreira dedicada exclusivamente à música?
Anette: Eu estava estudando sim, e ainda estudo, mas no momento os meus estudos tiveram que ficar de lado um pouco, pois tem esse show de TV que estou participando na Finlândia a partir primeiro de março, o que significa que preciso me concentrar nele por um tempo . Gostaria muito de fazer as duas coisas e talvez eu possa, mas se eu tiver que escolher,  e eu posso viver isso novamente, a música é o que eu quero fazer.

No show de TV, na MTV finlandesa
RtM: Eu sei que você pode já estar cansada deste assunto (Nightwish), mas eu prometo que vou fazer apenas algumas perguntas, a pedido de seus fãs aqui no Brasil. No DVD/ Blu-Ray que a banda lançou no ano passado, "Story Time: Live Time", que traz um documentário falando do período de sua saída (ou demissão) do Nightwish, e você não autorizou o uso de sua imagem e voz neste documentário, e na minha opinião eu acho que você fez a coisa certa, pois não mostra a sua versão em alguns fatos. Eles chegaram a falar-lhe sobre o conteúdo do documentário? Quais são as razões pelas quais você não autorizou o uso de sua imagem?
Anette: Eles queriam me pagar, e ser incluída nesse DVD documentário depois de me chutarem para fora de uma forma mesquinha e cruel, então é claro que eu não queria estar nele. Por que eu? Eu não queria mais nada com a banda, nunca mais. E devido ao que eles fizeram com Tarja e Marcelo no documentário que eles lançaram após demitirem ela, onde eles só mostraram o lado deles,  e fizeram ela parecer o lado mau, então eu com certeza não queria que eles fizessem o mesmo comigo. Foi fácil decidir, eu disse que não imediatamente e eu não me arrependo da minha escolha.



RtM: Eu acredito que você deve ter tido bons momentos durante a sua permanência na banda, como viajar para diferentes países, se tornar uma pessoa conhecida no mundo inteiro, e, provavelmente,  em alguns lugares, quase não podendo sair anônima na rua! Como foi para você, de repente estar em palcos de grandes festivais com milhares de fãs à frente?
Anette: Na verdade, foi um processo difícil para mim, porque eu não gosto de ser reconhecida nas ruas e me senti estranha com isso. Fui educada de uma forma em que aprendi que somos todos iguais neste mundo, e todos têm o mesmo valor, então para mim, eu não tive ninguém como um grande ídolo, que eu pudesse ir a shows, pedir-lhes uma foto ou autógrafo, por isso me senti muito estranha que alguém pensasse que eu era assim tão especial e importante. Mas eu aprendi e compreendi que isto faz parte do trabalho, porém hoje em dia eu ainda me sinto um pouco constrangida se alguém me reconhece, mas também sinto que eles gostam de mim  e se importam muito comigo.



RtM: O seu trabalho na banda sempre acabava sendo comparado a Tarja, com uma leva de fãs não aceitando a mudança, e lembro que você disse que até chegou a sofrer algumas ameaças de morte de alguns estúpidos. É muito estranho que níveis podem chegar as idolatrias ou obsessões. As pessoas às vezes esquecem que no palco são pessoas com famílias, sentimentos e uma vida  além do trabalho.
Anette: Bem, eu entendo a frustração que sentiam, Tarja foi a cantora oficial desde o início e ela tem uma voz muito especial, sendo esta rainha do Metal um pouco "fria" e intocável, e ela era o oposto total de mim, seja como ela se parece, canta e atua no palco. Eu sou uma pessoa muito aberta, feliz, extrovertida e canto com uma voz mais comercial, e soou tão diferente para os fãs do NW, assim os fãs "die hard" não conseguiam aceitar. E foi uma pena que eu levasse alguma culpa por isso, pois eu não deveria, mas às vezes as pessoas não entendem, e agem como eles acham que devem agir quando estão movidos pela paixão por algo.


RtM: Você tem tido algum contato com alguns dos membros do Nightwish, ou alguns deles entraram em contato com você? Como foi a sua relação com a banda e equipe? Agora, passado um tempo, quais seriam as principais razões para o rompimento com a banda?
Anette: Não, nós não temos nenhum contato. A equipe e eu éramos todos amigos e não tinha problemas. E na banda havia alguns membros que sempre ficaram comigo, assim como tinham os que me queriam fora. Assim, era um grupo de pessoas divididas. A razão para isso é, naturalmente, algo que só os membros sabem, então não posso dizer exatamente o que, mas eu acredito que tivemos opiniões diferentes e eu também fiquei grávida novamente, e não foi algo que os agradou, e então eles me chutaram para fora.

Ensaio para o show de TV
RtM: Pelo que vemos do lado de fora, Tuomas controla quase tudo na banda, parece-me que talvez chegue a um ponto que a banda se torne um projeto solo dele. E agora, vamos ver como será o relacionamento com Floor Jansen, se ela terá uma continuidade. Eu acho complicado para a maioria dos músicos não poder contribuir com ideias ou composições.
Anette: Sim, NW é apenas Tuomas, e mesmo quando é escrito ou feito algum comunicado oficial, sempre escreve: Tuomas e Nightwish. Portanto, é a sua sua banda, ele controla, ele toma as decisões, mas ele também ouve os outros e, por vezes, talvez as pessoas erradas, mas isso é a escolha dele e vamos ver até onde ele vai. Acredito que ainda não ouvimos as últimas deles em se tratando de trocas de membros porque algo não funcionou, simplesmente não funcionará, não importa quem entrar para o grupo. Se eles não tentarem mudar e evoluir nada será diferente, e vão surgir os mesmos problemas. É fácil culpar o membro "novo"  pelos problemas, mas quando isso acontece várias vezes eu acho que as pessoas vão perceber que não é bem assim.



RtM: Bom, finalizando, eu gostaria que você citasse seus passatempos favoritos, e sobre música, quais bandas ou artistas você ouve quando você está em casa?
Anette: Gosto de me exercitar, eu faço "cross fit", também gosto de estar na academia, musculação. Eu ouço todo tipo de música, pop, hip hip, rock, Metal... qualquer coisa desde que eu acredite que a música é maravilhosa, não importa o gênero. Sou muito mente aberta quando se trata de música.


RtM: Anette, muito obrigado pela sua atenção, estamos ansiosos pelos próximos trabalhos e para ouvir sua bela voz! Deixo estas linhas finais para que você envie uma mensagem para os fãs brasileiros!
Anette: Obrigada, e eu quero dizer obrigada para todos os fãs no Brasil e espero que eu possa ir cantar para vocês algum dia em breve =)



Entrevista: Carlos Garcia
Tradução e Edição: Carlos Garcia

Anette Olzon's Facebook
Anette's Official Site









Nenhum comentário: