terça-feira, 30 de junho de 2015

Cobertura de Show - Cavalera Conspiracy: “O Sepultura está morto, mas o espírito está aqui mais vivo do que nunca!” (23/05/15 - Bar Opinião - Porto Alegre/RS)


Seis meses depois de sua primeira passagem pela capital gaúcha os irmãos Cavalera retornam, agora para divulgar seu mais recente trabalho “Pandemonium” (14).

O palco escolhido para a nova destruição foi novamente o Bar Opinião, onde o Cavalera Conspiracy faria mais uma apresentação histórica. Infelizmente chegamos ao local quando a banda gaúcha It’s All Red já estava finalizando seu show, mas o pouco que podemos ver, mostram muita segurança e guitarras bem afiadas em seu Metalcore trabalhado e agressivo.

Devido o curto intervalo de tempo que o CC veio a Porto Alegre, a casa estava com um público bem abaixo do esperado, mas que transformou a apresentação em algo bem intimista, deixando um belo clima para o que viria em seguida.


E não demora muito para Iggor Cavalera (bateria), Marc Rizzo (guitarra), Johny Chow (baixo) e Max entrarem em cena e de fato quebrarem tudo com “Babylonian Pandemonium”, “Sanctuary” e “Terrorize”, onde Max mostra absoluto controle do público e um carisma fora do normal.

Claro que temos aquele velho Max empunhando sua guitarra, mas não “tocando” como deveria, deixando isso mais a cargo de Rizzo que segura as pontas muito bem, além de ter uma presença de palco forte e marcante.


Seguindo a destruição era hora de dois clássicos absolutos de sua antiga banda, o Sepultura e eis que “Refuse/Resist” e “Territory” entram em cena para transformar a casa em um verdadeiro caldeirão, e com Max instigando os presentes a todo instante. O som da casa estava muito bom, assim como a iluminação, mas após essas duas músicas Max reclamou que o som de sua guitarra estava uma “merda”, mas mesmo assim disse que o som iria continuar e anuncia uma do mais recente trabalho, “Cramulhão”, que soou muito bem ao vivo.

Neste show Iggor optou por um kit mais simples de bateria, mas isso não significa que a agressividade e técnica do mesmo diminuiu, pelo contrário, é um verdadeiro monstro das baquetas e suas performances ao vivo são impressionantes! Nesta noite o CC também estava com o baixista Johny Chow (que gravou os dois primeiros discos do Calavera Conspiracy), e que deu conta do recado, agitando bastante e se demonstrando super carismático.


Para brindar a bela noitada que estavam tendo, Max anuncia uma música de um antigo projeto seu o Nail Bomb, mas que dessa vez iriam tocar uma mais Doom mais pesada, e “Sum of Your Achievements” veio para arrancar os pescoços alheios com seu peso descomunal.

Mas foi após “Warlord” e “Torture” que o inferno veio a terra, com o medley de “Beneath The Remains/ Dead Embryonic Cells/ Desperate Cry/Troops of Doom”, aí não teve fã de Sepultura que resistisse, rodas e mais rodas, headbanging descontrolado e muitos com os olhos fixos e marejados no palco, pois sim estavam vendo duas lendas do Metal mundial tocar esses verdadeiros clássicos que os consagraram.


E ao final desse medley Max dispara: “O Sepultura está morto, mas o espírito está aqui mais vivo do que nunca!” Fazendo a galera explodir e o ovacionar incansavelmente.

O show se aproximava do final, e após esse medley matador, podemos notar o desgaste vocal de Max, que seguiu até o final da apresentação intercalando seu vocal rasgado com o limpo. Claro que a idade chega para todos, mas não temos do que reclamar, seu carisma supera essa adversidade e presenteia os fãs com o que realmente querem ouvir.


E após “Killing Inside” tivemos a grata surpresa de “We Who Are Not As Others” (Chaos A.D – 93) terminando com a batucada tradicional dos irmãos Cavalera, seguida de “Attitude” (“Roots...” – 96).

Antecedendo o “final fake”, “Inflikted” vem para mostrar que as músicas atuais podem sim se entrelaçar com os clássicos e soar muito bem ao vivo. Antes de sair do palco Max diz que para voltarem terão que fazer muito barulho.


Pedido feito, pedido aceito e Max e Iggor retornam com Max tocando o clássico riff de “Iron Man” do Black Sabbath, seguindo do clássico “Orgasmatron” do Motorhead e fechando o show com a já carimbada “Roots Bloody Roots”.

Não há o que dizer dos irmãos Cavalera, a energia que emanam ao vivo é fora do comum, trazendo um show fantástico e inesquecível para os fãs!  

Cobertura por: Renato Sanson
Fotos: Uillian Vargas

Setlist:
01 Babylonian Pandemonium
02 Sanctuary
03 Terrorize
04 Refuse/Resist (Sepultura)
05 Territory (Sepultura)
06 Cramunhão
07 Not Losing The Edge
08 Doom of All Fires
09 Sum of Your Achievements (Nailbomb)
10 Warlord
11 Torture
12 Medley – Beneath The Remains/ Dead Embryonic Cells/ Desperate Cry/Troops of Doom (Sepultura)
13 Kiling Inside
14 We Who Are Not As Others (Sepultura)
15 Attitude (Sepultura)
16 Inflikted
17 Orgasmatron (Motorhead)
18 Roots Bloody Roots (Sepultura)


Nenhum comentário: