domingo, 10 de julho de 2016

Hangar: Dando Um Passo A Frente


Antigamente, mais precisamente nos anos 70, era algo recorrente e normal as bandas lançarem álbuns todo ano (ás vezes, até mais de um), hoje, não é dessa maneira! Muitas das lendárias bandas ficam períodos longos sem lançar material novo. Lançar ou gravar qualquer coisa, seja inédito ou não, nunca foi obrigação, mas em se tratando do Hangar, banda liderada pelo grande baterista Aquiles Priester, a coisa já é diferente, pois apesar da demora de 7 anos sem promover um álbum somente de inéditas, a banda colocou lançamentos no mercado, teve novas mudanças na formação, mas a união e paixão de fazer música não sumiu no grupo. Dando mais um passo adiante, os gaúchos vão soltar o tão esperado “Stronger Than Ever” este mês.

Antes de começar o review, vale registrar que nós do Road to Metal estivemos durante a audição do disco, que foi realizada no último dia 15 de junto no EM&T, escola de música e tecnologia, que fica localizada em São Paulo. Para quem teve a oportunidade de ir puderam ouvir, em primeira mão, com a presença de todos os integrantes, cada faixa desse novo trabalho, além de também comprar as únicas tiragens do CD antes do lançamento oficial, tendo também a venda exclusiva da camiseta do álbum. Fora isso, antes da audição, cada integrante deu suas declarações sobre o álbum de forma descontraída e humorada, também comentado o conceito e a forma como compuseram cada música.

Focando agora no disco, “Stronger Than Ever” acumula um festival de peso e técnica. Pra quem teve boas lembranças ouvindo “The Reason Of Your Conviction” (2007) e “Infallible” (2009), que já mostrava a ferocidade progressiva e power do quinteto, neste novo lançamento a banda mostra uma evolução súbita e inimaginável, e isso é compreendido pelos riffs fortes de guitarra (marcando o retorno de Cristiano Wortmann, sendo o único guitarrista permanente após a saída temporária de Eduardo Martinez), a base rítmica inigualável e as viajantes melodias de teclado, que a frente disso tem a estreia do vocalista Pedro Campos, que se encaixou muito bem ao grupo. A isso tudo, o trabalho mostra o mesmo Hangar que todo mundo conhece, só que com mais modernidade e vida para tocar o barco.



A produção e as composições ficaram sob a batuta do próprio Aquiles Priester, deixando o restante gravar as suas partes nos seus devidos cantos. A mixagem e a masterização, que é o principal fator de toda a parte sólida do disco, ficaram a cargo do produtor finlandês Jesse Vainio, no estúdio Mofo Music Studio. Graças a ele, a qualidade das músicas ficou perfeita para ouvir no volume máximo, sendo a escolha certa pra cobrir essa parte. A parte de layout foi dirigida pela esposa do Aquiles, Patrícia Priester, e pelo já conhecido João Duarte. E segundo a Patricia, durante o final da audição, ela declarou que toda a parte gráfica resume a sonoridade do álbum.

É claro que há sempre preferências por parte de alguns sobre a questão de melhor disco, mas “Stronger Than Ever” deixa claro que a banda ainda tem bastante gás para fazer música, que se depender de todos, ainda há muito que acontecer na carreira do Hangar, e este novo álbum é a verdadeira amostra do que está por vir nesses quase 20 anos de carreira.

Sobre as impressões de “Stronger Than Ever”, “Reality Is A Prison” começa mostrando a verdadeira identidade do Hangar, revitalizados por riffs acessíveis e bateria num andamento rápido e pesado, não perdendo a habilidade técnica que cada um mostra. Às viradas monstruosas de bateria do Aquiles antecipa o início da “The Revenant”, que aborda linhas vocais mais agressivas (prestem atenção na voz do Pedro e dos backing-vocals de Cristiano) e riffs cadenciados, além de ter bastante diversificação de ritmo por parte do Aquiles, algo que ele sabe fazer com maestria. “Forest Of Forgotten” tem um pouco de tudo pra quem gosta de Heavy Metal, havendo momentos que são mais Death e Thrash Metal, além de ter mudanças de andamento que são bem executadas. “A Letter From 1997”, que já não é tão pesada, exibe uma bela harmonia de imediato, mas que não demora muito para mostrar sua verdadeira cara, sendo uma ‘power-ballad’ bem arranjada. E é incrível como o Pedro consegue por controle na sua voz, flertando do mais agressivo ao limpo.



O ponto esbelto do álbum chega em “Just Like Heaven”. Balada linda com uma atmosfera romântica e com toques de Melodic Rock e AOR, que com certeza vai grudar na cabeça de quem ouvir pela primeira vez; o peso volta a aparecer em “The Silence Of Innocent”, e segundo o Aquiles, a música foi refeita várias vezes pra chegar ao resultado final. E podemos dizer que é uma verdadeira paulada, que com certeza cairia bem como faixa de abertura. E o mais interessante é que o grupo consegue assimilar diferentes nuances em uma só música; “Beauty In Disrepair” segue uma forma mais dinâmica, e grandes riffs, que são abrasivos e intrincados. Os teclados e os solos de guitarra são uma prova que a capacidade técnica do grupo não lhes dá limite, volvendo uma verdadeira aula de Prog Metal.

“We Keep Running The Course” é mais uma balada, só que mais climatizada, destacados pela cadência nos riffs e o ótimo refrão, que é bem grudento. E o Laguna conseguiu elevar ainda mais o nível com linhas requintadas de teclado; “The Hangar Of Hannibal”, até então, termina de um modo azedo e agressivo, voltando a ter aqueles backing vocals ríspidos que o Cristiano sabe impor (na linha que apresentaram nas inéditas do "The Best Of"). Num determinado momento, o Aquiles consegue chamar a atenção da banda através das notas que ele executa na sua bateria, com o restante seguindo o mesmo compasso. Encerrando, a banda nos surpreende com uma versão acústica da “Just Like Heaven”, que não foge muito dos padrões da versão original, só algumas mudanças nos vocais e alguns elementos de cordas.



Quem ainda é fiel a essa grande lenda do Metal gaúcho e nacional, vale a pena ter esse 6º trabalho de estúdio, que marca uma verdadeira mutação na carreira da banda.


Texto: Gabriel Arruda
Revisão/Edição: Renato Sanson
Fotos: Divulgação

Ficha Técnica
Banda: Hangar
Ano: 2016
Estilo: Power/Prog Metal
Gravadora: Making Of 

Entrevista com Cristiano e Nando


Formação
Pedro Campos (Vocal)
Cristiano Wortmann (Guitarra)
Nando Mello (Baixo)
Fabio Laguna (teclados)
Aquiles Priester (Bateria)

Track-List
01. Reality Is A Prison
02. The Revenant
03. Forest Of Forgotten
04. A Letter From 1997
05. Just Like Heaven
06. The Silence Of Innocent
07. Beauty In Disrepair
08. We Keep Running The Course
10. Just Like Heaven (Acoustic Version)

Contatos

Nenhum comentário: